FANDOM


Íconedeera-IndivíduosÍconedeera-DiscoveryÍconedeera-RevelationsÍconedeera-RogueÍconedeera-Assassinos

Logopequenodawikipédia
ACD Christoffa Corombo

Cristóvão Colombo

Christoffa Corombo (italiano: Cristoforo Colombo; 1450 ou 1451 – 20 de maio de 1506), melhor conhecido pelo nome Cristóvão Colombo, foi um navegador nascido italiano, colonizador e explorador que trabalhou com a nação da Espanha. Suas viagens levou à consciência europeia dos continentes americanos, apesar de sua intenção original ser encontrar uma rota para a Índia, indo ao oeste.

Ele também foi crucial para a proteção da maçã do éden, onde com a ajuda do Mestre Assassino Aguilar de Nerha, escondeu-a em seu túmulo após sua morte, infelizmente ela foi recuperada pelos templários em 2016 com a ajuda de Callum Lynch, um descendente de assassino, porém, após perceber o erro que cometeu, buscou ajuda de outros assassinos e recuperou com sucesso a maçã do éden.

Biografia Editar

Em 1491, Cristóvão Colombo foi contatado por Rodrigo Bórgia, Grão-Mestre da Ordem dos Templários, que ouviu de seus planos para navegar ao oeste e queria marcar uma reunião com ele. Ele se ofereceu para financiar a exploração, enquanto o próprio Colombo não poderia recolher dinheiro suficiente. O amigo do Colombo, Luis de Santángel, o avisou que a reunião foi uma armadilha, mas Colombo se recusou a ouvir. Luis então contatou Antonio de Magianis, que o aconselhou a contratar o Assassino Ezio Auditore da Firenze para supervisionar a reunião como uma precaução.

A reunião foi na verdade uma instalação, mas Ezio chegou a tempo de salvar Colombo dos guardas dos Bórgia. Assim que eles chegaram em segurança, ele e Luis pediram para Ezio ajudá-los através da aquisição de um atlas com um mapa de Piri Reis necessário para a viagem de Colombo. Ezio concordou em ajudá-los, e com sucesso devolveu o atlas para eles.

No ano seguinte, Colombo tentou ganhar o financiamento para sua expedição a partir da Rainha Isabel I de Castela, mas ela se recusou a financiar a viagem, enquanto seus fundos ainda eram escassos depois da guerra com Maomé XII de Granada. O Rei da França se ofereceu para dar a Colombo os fundos necessários, e o explorador partiu para encontrá-lo. No entanto, isso acabou por ser outra conspiração dos Templários, e Ezio chegou bem a tempo de protegê-lo.[1]

Referências Editar

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.