FANDOM


Íconedeera-OcupaçõesÍconedeera-AC1Íconedeera-BloodlinesÍconedeera-AC2Íconedeera-RevelationsÍconedeera-AC3Íconedeera-AC4Íconedeera-UnityÍconedeera-Syndicate

AC3 General Store

O interior de uma loja.

Comerciantes, mercadores, negociantes ou vendedores eram civis que compravam e vendiam vários itens e serviços em muitas cidades e lugares ao longo do mundo.

HistóriaEditar

A profissão de comerciante era uma das mais comuns, desde vendedores amadores até grandes comerciantes ricos, e existe desde os primórdios da história. Existem muitas espécies de comerciantes, geralmente ativos em lojas em cidades, ou apenas em barracas e tendas, ou até nômades.

Durante a Alta Idade Média, existiam muitos mercados, lojas e barracas nas cidades da Terra Santa, vendendo bens diversos, como comida, armas e artefatos. Dois dos alvos de Altaïr Ibn-La'Ahad, Tamir e Abu'l Nuqoud, eram influentes e ricos mercadores. O Souk Al-Silaah em Damasco era um dos mais movimentados mercados da época. Nesse tempo, Altaïr não comprava coisas de comerciantes, ganhando seus equipamentos de seu Mestre em Masyaf.

Durante a Renascença, os ramos comerciais aumentaram muito, com o aprofundamento da cultura humana. Muitas das pessoas ricas dessa era eram comerciantes, e o Assassino Ezio Auditore da Firenze frequentemente comprava armas, armaduras e objetos diversos dos comerciantes disponíveis. Na Libertação de Roma, Ezio e os Assassinos restauraram Roma à cidade gloriosa que já foi, reformando e reabrindo dezenas de lojas espalhadas na cidade. O mesmo aconteceu em Constantinopla. Quanto mais lojas reabertas, mais renda.

No Período Colonial, inclusive a Época Dourada da Pirataria e a Guerra dos Sete Anos, o comércio era uma das maiores e mais relevantes atividades da época, com o comércio global aumentando muito com a expansão marítima. Edward Kenway, Ratonhnhaké:ton e Shay Cormac compravam e vendiam com frequência de comerciantes, geralmente comprando armas, munição, troféus, melhorias navais e diversas outras coisas, além de vender produtos como rum, açúcar, tecido, madeira e metal, além de peles e ossos de animais. Edward Kenway também era o proprietário de uma grande frota naval, que comerciava produtos com dezenas de lugares acessíveis pelo Atlântico, rendendo muito dinheiro, troféus, obras de arte e roupas refinadas.

Na Revolução Francesa, Arno Dorian comprava de um comerciante dos Assassinos tudo o que precisava. Ele também era o dono de uma rede de cafés e clubes-sociais, o Café-Théâtre, e vários outros cafés menores, que lhe rendiam bastante dinheiro, aumentando com o número de cafés renovados e melhorados.

Durante a Era vitoriana, o mercado interno britânico havia se desenvolvido muito, e os gêmeos Jacob e Evie Frye faziam acordos com os mercados para vender diversos itens e gerar renda rápida e grande. Ao longo de Londres existiam inúmeros comerciantes do mercado negro que vendiam, principalmente, armas, roupas, manoplas, capas, pistolas, mapas e munição.

TiposEditar

ReferênciasEditar

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.

Fandom may earn an affiliate commission on sales made from links on this page.

Stream the best stories.

Fandom may earn an affiliate commission on sales made from links on this page.

Get Disney+