Assassin's Creed Wiki
Advertisement
Assassin's Creed Wiki

Marca temporal: 22/06/2012
Local: Future Technology, filial de Paris

  • Gramática: Não estou nada feliz com isso.
  • Ardant: Por que precisa sempre atirar na sua cabeça para invocar a consciência de Precursor?
  • Gramática: Porque funciona! Eu tentei cortar meus pulsos, nada. Eu tentei ter uma overdose de pílulas. Tive que fazer uma lavagem gástrica. Foi muito desagradável. Precisa ser um grande ferimento para ativar o artefato.
  • Ardant: O risco é inaceitável. Sem você, não há uma divisão de tecnologia futura. Então eu trouxe um voluntário qualificado para você.
  • Da Costa: Eu sou a agente Violet da Costa. É uma honra conhecê-lo, senhor.
  • Gramática: É? Eu já tentei recrutá-la uma vez e você me recusou pela Equipe Sigma.
  • Da Costa: Eu pensei que poderia fazer mais bem no campo.
  • Gramática: Bobagem. Um cérebro fantástico como o seu vai ser desperdiçado.
  • Ardant: A agente da Costa foi designada a você por seis meses. Aproveite-a bem.
  • Gramática: Então vamos começar já! Se enrole no artefato, por favor! Eu sei como invocar o Precursor. Mas eu nunca fui capaz de me comunicar com ele.
  • Da Costa: Então isto será um interrogatório.
  • Gramática: Bingo!
  • Ardant: Se não faz diferença para vocês, eu vou sair antes da bagunça.

[Passos saindo]

  • Da Costa: Bagunça? O que ela quis dizer...

[Tiro]

  • Conso: Eu sou Conso, o Deus Erudito.
  • Gramática: Sim, sim, olá! Eu quero saber mais sobre você. Me diga, você criou o Sudário?
  • Conso: Quando eu era carne, fui aprendiz de Hefesto. Um criador. A Guerra da Unificação acontecia. Nós criamos Espadas devastadoras para terminá-la. Mas então: culpa. Eu criei Sudários. Para curar.
  • Gramática: Eu suspeitei que poderia ter sido uma ferramenta para tratar das baixas na guerra. Como o Sudário cura danos tão terríveis?
  • Conso: O corpo é uma construção. Uma máquina. Com planos armazenados. Sudários acessam esses centros de recuperação. Repara danos às especificações.
  • Gramática: Um padrão de fábrica. Espere. Sudários? Há mais do que esse aqui?
  • Conso: Este é o original. Meu protótipo. Criado no ano 1923 da Era Isu.
  • Gramática: Era Isu? Eu tenho tantas perguntas. Mas vamos ficar com você. Como a sua mente reside nesse artefato?
  • Conso: Eu era velho. Eu queria mais tempo. Corpos são construções. Mentes são programas. Carreguei o meu programa neste Sudário. Para enganar a morte. Consegui. Falhei. Preso no meu protótipo. Preso no meu laboratório esquecido. Vivo. Acordado. Sem falar. Só observando. Gerações passaram. Tecnologia cresceu. Meu tipo criou o seu. Nunca imaginei que máquinas como você fossem possíveis. Meus descendentes provaram meu erro.
  • Gramática: Gerações?! Por quanto tempo você está...
  • Conso: O dano foi reparado. Descansar agora.
  • Da Costa: Isso foi indescritível! Quando podemos fazer de novo?
  • Gramática: Que tal agora?

[Tiro]

Advertisement